A queda da interpretação

R$49,90


Vários filósofos do século passado tiveram como foco o problema da hermenêutica; um interesse também partilhado pelos teólogos, os quais buscam interpretar os textos bíblicos. Como os críticos pós-modernos desafiaram a possibilidade de compreender quaisquer textos, a questão de como contestar tornou-se crítica.
Entre uma miríade de abordagens à hermenêutica, tanto os teóricos seculares quanto os cristãos frequentemente assumiram a mesma coisa: que a necessidade de interpretação é lamentável, escandalosa e até mesmo caída. Em um mundo ideal, não haveria necessidade de interpretação, já que a comunicação seria imediata, instantânea e sem falhas.
Em , James K. A. Smith examina a discussão hermenêutica contemporânea identificando três modelos e como eles lidam com esse problema:
• imediação presente: o problema da interpretação é algo que podemos superar aqui e agora;• imediação escatológica: o problema da interpretação será resolvido, mas só no fim dos tempos;• mediação violenta: o problema da interpretação nunca será superado.
Partindo dessa análise, Smith recorre a Agostinho de Hipona para propor o modelo “criacional-pneumático”, o qual trata a hermenêutica não como uma consequência da Queda, mas, sim, como proveniente da criação. Dessa forma, o problema da interpretação não é algo a ser superado, pois é uma afirmação da pluralidade – característica inerente à boa criação de Deus. Nas palavras do autor, este livro é uma “interpretação da interpretação” e deve resultar em um “respeito pela diferença como uma dádiva de um Deus criador que ama a diferença e que ama de maneira diferentes”.

Book Details

Data de Publicação

15/06/2021

Título Original

A queda da interpretação

ISBN

9786556892016

Autor

Smith, James K. A.

Tradução

Lamim, Valéria

Número de páginas

304

Dimensões

23cm x 15.5cm x 1.8cm

Peso

460 g

Acabamento

Livro brochura (paperback)

Preço

49.90

Autor

Smith, James K. A.